Azul ou amarelo?

Uma das perguntas mais freqüentes que recebo é: Que cor devo pintar a minha casa?
Apesar da tinta ser uma das ferramentas mais utilizada para se inovar, infelizmente ela é a mais difícil de escolher. Pense comigo: chegamos à casa de tintas e nos é dado um catalogo com mais de cinco mil cores diferentes (e ao mesmo tempo são tonalidades muito próximas o que dificulta na decisão), sem contar que elas ficam em amostras minúsculas de 5x3cm e é praticamente impossível imaginar a sua parede de três metros de altura pintada naquela cor.
Então o que fazer?
Bom, aprendi que respostas prontas para arquitetura, construção ou decoração não existem, são necessários vários fatores para se chegar à decisão mais coerente.
Um passo a passo básico:
1º Verifique os tons dos seus móveis e pisos. Ex: Trabalhar com contrastes é muito importante e da vida ao ambiente, misturas tons claros e escuros. Se seus moveis e pisos são de madeira escura procure tons pastel e suaves para as paredes.
2º Procure cores vivas no catalogo de cores, mas cuidado com os tons escuros. (Se você gosta de “vermelho sangue”, utilize apenas em uma parede, nas restantes pinte de branco.) Escolha uma cor, para saber como vai ficar na sua parede, compre 2 tons mais claros da cor que você escolheu, isso ajuda na visão geral depois de pronto.
3º Se você não se decidiu pelo “azul” ou pelo “amarelo”. Compre pequenos potes que não custam mais de oito reais cada cor. E assim você pode fazer pequenos testes na sua parede e ver qual tom mais te agrada.
Lembre-se não existem regras, pois gostamos de texturas e tendências diferentes. Se você se sente feliz com a decisão final não fique preocupado se o que você escolheu não está na “moda”.

Pammela Resende Menezes






Comentários

Postagens mais visitadas